MANUTENÇÃO | Cabine – paredes, portas, grades, dutos, queimadores e filtros

 

É de extrema importância que tenhamos, no interior das cabines de pintura da oficina, um ar isento de partículas sólidas, para evitar o risco de essas partículas aderirem à pintura durante o tempo em que o veículo permanecer em seu interior – algo que gera retrabalho.

Para isso, é necessário realizar a limpeza das paredes, grades do piso e proteção das lâmpadas, manter em perfeito estado de funcionamento os sistemas de fechamento e vedação de portas, turbinas de extração de pó e queimador de gás, além de um controle rigoroso na substituição dos filtros de ar da cabine.

O procedimento de manutenção a seguir é válido para qualquer cabine de pintura automotiva, independentemente de seu sistema de aquecimento (diesel ou gás).

 

PAREDES E PROTETORES DE LÂMPADAS

Nas paredes da cabine, depositam-se pulverizações (overspray). Algumas dessas partículas podem se soltar das paredes, impregnando partes do veículo quando ele estiver sendo pintado. Para evitar isso, as paredes devem ser limpas a cada 15 dias, e é necessário aplicar produtos para proteção. Algumas oficinas utilizam líquido de mascaramento nas paredes das cabines, o que pode trazer alguns problemas: devido à remoção desse líquido ser feita com água, isso pode danificar a parte elétrica e as emendas da cabine, provocando corrosão e danificando as partes que contêm selantes. Levando em conta que os vidros de proteção das lâmpadas não recebem nenhum tipo de proteção, há perda de luminosidade na cabine.

Alguns produtos no mercado para essa proteção:

  • Verniz pega-pó
  • Plástico protetor, específico para cabine (filme plástico)
  • Panos de proteção (sistema Dirt Trap)

 

MANUTENÇÃO DE GRADES DE PISO E FOSSO

O piso da cabine de pintura é constituído geralmente de grades metálicas. As partículas de tinta que não se depositam sobre os veículos são expulsas para os filtros por meio de seu sistema de pressão. Contudo, algumas impregnam a grade do piso, o que torna necessário fazer uma limpeza periódica das grades.

Já o fosso é o ambiente de armazenagem dos resíduos que foram gerados durante o processo de pintura, e também requer cuidados especiais. Todo resíduo deve ser recolhido e destinado a empresas registradas em órgãos ambientais que façam a incineração adequada desse material.

 

PORTAS

Para evitar perda de calor, que gera maior custo no aquecimento, e também a perda de pressão dentro da cabine, é fundamental manter as borrachas bem conservadas, observando seu estado de conservação a cada seis meses. No caso de borrachas ressecadas, a substituição deve ser imediata.

 

MOTOR E DUTOS DE AR

Os dutos de ar devem ser limpos com aspirador de pó, uma ou duas vezes ao ano, para assegurar uma boa circulação pelo sistema. O excesso de sujeira pode provocar aquecimento e diminuir a vida útil do motor e dos filtros de ar. A tensão das correias deve ser controlada periodicamente. Quando flexionadas, as correias não devem ultrapassar 2 cm de flexão. Caso encontrem-se deterioradas, torna-se necessário fazer a sua substituição.

 

QUEIMADORES E CHAMINÉS

A manutenção dos queimadores e chaminés da cabine deve ser feita por profissionais com conhecimentos especializados, para controlar a quantidade de fumaça, a regulagem do queimador e a formação de fuligem. É recomendável verificar a presença de ar nos tubos de condução de combustível do queimador (no caso do aquecimento a diesel), pois a presença de ar no sistema de alimentação provoca um funcionamento irregular do queimador – é necessário, portanto, realizar a purga do ar existente nos tubos.  A manutenção desses equipamentos deve acontecer uma vez ao ano.

 

FILTROS

As cabines de pintura dispõem de três tipos de filtros:

  • Pré-filtros: Localizam-se na entrada da turbina (motor de aspiração), onde fazem a pré-filtragem do ar de entrada. Esses filtros vão influenciar diretamente no tempo de vida útil dos filtros de teto, que efetuam o segundo estágio de filtragem do ar. Os pré-filtros devem ser substituídos em até 400 horas ou a cada três meses, e nunca devem ser limpos com aspirador de pó ou lavados, pois a estrutura do meio filtrante é modificada, alterando suas características de eficiência e vazão de ar.
  • Filtros de teto: Realizam a filtragem mais exigente, assim como uma distribuição de ar mais uniforme por toda a cabine. No caso da saturação dos filtros de teto, pode ocorre perda de pressão dentro da cabine, prejudicando o seu funcionamento.
  • Filtros de piso: São responsáveis por reter a névoa de pulverização de tintas durante o processo de pintura dos veículos. Sua saturação pode gerar um aumento na pressão interna da cabine de pintura, que por sua vez provocará uma turbulência nas névoas de pulverização. Para evitar a dispersão das partículas de tinta geradas na aplicação, é importante realizar a substituição dos filtros do piso a cada 30 dias (ou 200 horas), antes que ocorra a sua saturação.
  • Carvão ativado: As oficinas devem se atentar às regulamentações das normas ambientais, buscando diminuir a quantidade de VOCs (compostos orgânicos voláteis) no ambiente, e para isso algumas cabines incorporam filtros com carvão ativado. Para conseguir o correto funcionamento dos exautores, é recomendável substituir os filtros de carvão ativado em até 500 horas trabalhadas, ou a cada cinco meses.

TEXTO: Francisco Carlos Fernandes Assunção

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.