ALUMÍNIO | Tipos de corrosão - Clube das Oficinas

ALUMÍNIO | Tipos de corrosão

 

Um dos problemas possíveis após uma reparação em alumínio é a oxidação da chapa. Isso pode acontecer, por exemplo, quando uma peça de alumínio entra em contato com o aço carbono – geralmente por conta da contaminação da ferramenta utilizada pelo funileiro. Há três tipos de corrosão que podem acontecer nesse caso. Confira a seguir.

CORROSÃO DE FENDA
É a mais comum, ocorrendo em fendas nas juntas nas quais se acumulam líquidos corrosivos, como a água do mar. As superfícies de contato podem ser ambas de alumínio, de alumínio com aço ou de alumínio com plástico. Geralmente, trata-se de uma corrosão não profunda, que ocorre abaixo das juntas, soldas, junções de material sobreposto ou dobras. Alguns fatores, como temperaturas elevadas ou a concentração salina no líquido, podem acelerar essa corrosão.
Para esse problema, recomendamos o uso de primers resistentes à corrosão e seladores para prevenir a entrada de líquidos nas juntas.

CORROSÃO GALVÂNICA
Ocorre quando um metal está em contato com outro metal dissimilar ou um condutor não metálico (como carbono em buchas de montagens), e a junta é exposta a um eletrólito, como a água do mar. Nesse caso acontece a corrosão do metal mais ativo – ou menos nobre. Um dos exemplos mais comuns de corrosão galvânica nas aplicações automotivas envolve as ligas de alumínio em contato com aço exposto. Por exemplo, uma porca de aço sem revestimento em contato com uma chapa de liga de alumínio.
Para evitar a corrosão galvânica, recomendamos eliminar qualquer contato entre metais dissimilares por meio de revestimento, metais selantes, pintura ou anilhas para isolamento de componentes elétricos. Também vale evitar a exposição das juntas a eletrólitos, como a água do mar, usando selantes adesivos e primers.

CORROSÃO FILIFORME
Possível de acontecer quando há danos na superfície de alumínio revestida ou pintada, ocorre abaixo da pintura, dos primers ou revestimentos. Suas consequências são apenas cosméticas, uma vez que a corrosão do alumínio fica limitada à área superficial, resultando em falhas na pintura ou outro acabamento, provocando a sua separação da superfície metálica.
A corrosão filiforme tipicamente se dá em ambientes úmidos e é mais comum em áreas costeiras ou em indústrias. Para evitá-la, siga estas medidas preventivas:
– Limpeza integral da superfície antes da aplicação de qualquer revestimento.
– Aplicação de proteção contra corrosão.
– Inspeção e eliminação de defeitos de superfície, como danos mecânicos, poros, bolhas de ar ou cobertura insuficiente.
Peças de alumínio com corrosão dessa natureza podem ser reparadas com a remoção do revestimento e da corrosão por jateamento, seguido pela aplicação da pintura ou de materiais de acabamento.

TEXTO: Francisco Assunção

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.