FUNILARIA | Cuidados com as ferramentas da oficina - Clube das Oficinas

FUNILARIA | Cuidados com as ferramentas da oficina

 

Para que o trabalho do funileiro traga bons resultados para o reparo do veículo, é imprescindível que as ferramentas utilizadas no processo estejam em boas condições. E isso não se resume à limpeza. Cuidar bem dos instrumentos da oficina contribui para o aumento da vida útil deles. Além disso, a oficina economiza, já que a necessidade de comprar novos equipamentos fica menor.

Confira a seguir as recomendações do CESVI para os cuidados com as ferramentas de funilaria.

MARTELO DE FUNILEIRO
Quando a oficina compra um martelo de funileiro novo, ele ainda não está pronto para ser usado. Como as chapas dos painéis externos são muito finas, com espessura abaixo de 1 milímetro, é preciso limar a face do martelo para aplainar a superfície e eliminar as quinas acentuadas. É interessante também deixar a face da ferramenta levemente parabólica – assim, quando o funileiro golpear o painel do veículo, não vai criar vincos por causa das quinas do instrumento. Logo após esse processo, é interessante polir a face do martelo para facilitar o reparo e evitar a oxidação da área trabalhada. Importante: jamais use um martelo de funileiro para os usos de um martelo comum, como fixar pregos. Isso pode danificá-lo de maneira irreversível.

TASSO
Com o tasso, os cuidados são muito parecidos com os do martelo: é necessário aplainar a superfície e polir o tasso para que, ao apoiá-lo na parte anterior da chapa, isso não cause nenhum dano.

TALHADEIRAS DE CORTE
Devem ser afiadas rotineiramente usando um esmeril.

REPUXADEIRA ELÉTRICA
Os cuidados básicos envolvem não deixá-la ligada sem que esteja em uso. As ponteiras usadas nas funções martelinho, ponteira de vinco e arruela têm de ser limadas após o uso, retirando todo o excesso de material e deixando-as curvilíneas.

SOLDA MIG/MAG
A tocha Mig/Mag deve ser sempre limpa das escórias decorrentes de sua utilização. Antes de usar novamente é interessante passar um spray antirrespingo, que dará uma proteção a mais. Ao encerrar seu uso, sempre feche o registro do gás de proteção e solte a pressão do manômetro secundário – assim você evita o desgaste prematuro do registro.

EQUIPAMENTOS HIDRÁULICOS
Devem ter um plano de manutenção preventiva que recomende, além da limpeza, a troca dos orings e do óleo nos intervalos especificados pelo fabricante. Também é importante sempre guardar o equipamento com a pressão aliviada.

TEXTO: Misael Santos

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.